Nesta coxia o nosso assunto é principalmente a cena cultural local!

domingo, 31 de março de 2013

Sobre o espetáculo "Espasmo", em processo.

(Imagem: Divulgação)


“Um espasmo é uma contra(c)ção involuntária de um músculo, grupo de músculos ou órgão. Um espasmo é tipicamente acompanhado de uma dor localizada. (...)
O espasmo é causado por mau funcionamento dos nervos , pode se tornar muito mais grave, e permanente se não for tratado.
Por extensão, um espasmo temporário é uma explosão de energia, atividade, emoção, estresse ou ansiedade”. Wikipédia

Estava curioso para conferir o novo trabalho da Marcos Damaceno Cia de Teatro. Afinal, o processo do Grupo tem gerado resultados singulares e chamado a atenção do meio e da crítica especializada. Mas a apresentação que acompanhei neste domingo no Teatro Eva Herz, Livraria Cultura - Shopping Curitiba, superou as expectativas e surpreendeu-me e muito!

O ESPASMO proposto gerou contrações físicas e emocionais. Uma pressão atingiu meu peito e causou dor que se acentuava conforme a performance ia se desenrolando. O agravamento refletiu na emoção contida no estresse e na ansiedade do dia a dia. Por fim, compactuei com o estado da personagem, ou melhor, da atuante que permanecia imóvel em cena.

O trabalho é, no mínimo, desafiador, pois em nenhum momento opta pelo lugar comum ou pela solução facilitadora de encenação e atuação. O palco nu diz e é preenchido pela escultura corporal da atriz Maia Piva, que se faz presente e preenche os espaços. A iluminação diz ainda mais, no pulsar das emoções apresentadas. A trilha fala e dá suporte para a voz de Rosana Stavis, certeira nas palavras conduzidas pelo texto de Gabriela Mellão. O figurino se traduz na pele exposta sem pudores. Ao término da apresentação, aplaudi de pé, com satisfação de ter visto um processo investigativo realmente instigante! Parabéns ao Marcos Damaceno e a toda a equipe! Que este ESPASMO, ainda em processo, continue pulsante!

Último dia "Árvores abatidas ou para Luis Melo"

(Foto: David Mafra)

A peça estreou em 2008 e foi sucesso no Festival de Teatro de Curitiba de 2009. Na época, comemorou 20 anos de carreira de Rosana Stavis, atriz reconhecida pelo talento e sensibilidade que demonstra nas suas interpretações.
O espetáculo retorna ao Festival de Curitiba e faz hoje última apresentação nesta edição.
Muito já foi falado desta montagem, elogiadíssima pela encenação e atuação.
O texto faz um retrato da classe artística comum em vários lugares onde o fazer teatral está presente. Alegrias e tristezas do ser ator, angústias e solidão do ser humano são expostos durante quase uma hora e meia de espetáculo. Vale conferir!

Hoje, domingo - às 19:00, na Casa Damaceno (Rua Treze de Maio, 991 - São Francisco)

ESPASMO no Festival de Curitiba!

(Imagem: Divulgação)


Sobre o espetáculo "CRISTIANO - O CÃO LOUCO"

(Imagem: Divulgação)

Cristiano, preso político, e Luís, seu carcereiro, travam discussões ferozes e o resultado é uma profunda reflexão sobre a condição humana.
Os atores Eduardo Giacomini e Leandro Daniel (muito bem inseridos no contexto do espetáculo) se revezam nas interpretações das personagens, num jogo de caça e caçador que traz à tona os conflitos propostos na peça. 
O texto não linear, composto por fragmentos de narrativas e de memórias, desvenda aos poucos as angústias e a solidão desses seres aprisionados. 
A direção é precisa e, na encenação de Olga Nenevê, os elementos cênicos (como espaço, figurino, iluminação, trilha e projeções) colaboram para a exposição do que há de cru e sensível nesse embate construindo uma ambientação na medida. Destaque para o trabalho de corpo (movimento e voz). O Grupo Obragem continua seu caminhar construindo uma trajetória de séria investigação e com resultados de consistência!

HORÁRIOS DA PEÇA (FRINGE): hoje (31/03) - 18h
segunda (01/04) e terça (02/04) - 19h
ÚLTIMAS APRESENTAÇÕES!
Reservas: 30770293
Local: Espaço Grupo Obragem
Alameda Júlia da Costa, 204 – São Francisco.

sexta-feira, 29 de março de 2013

ELA!

(Imagem: Divulgação)


Peça ELA, no Coletivo de Pequenos Conteúdos , no Festival de Curitiba!

Um homem e uma mulher compartilham as hesitações de seu desejo em uma relação marcada pelos hiatos em sua sexualidade.

Estreia dia 28 (às 19h), 29 (às 22h), 30 (às 16h), 31 (às 19h) de março e 1º de abril (às 22h). Com Maryah Monteiro e Johnny Leal, direção de Raquel Schaedler


quinta-feira, 28 de março de 2013

Cineclube Sesi: "O Intruso", de Claire Denis"

(Imagem: Divulgação)

Nesta quinta-feira dia 28/03 o Cineclube Sesi apresenta o filme "O Intruso", de Claire Denis encerrando o ciclo A Mulher no Cinema. No dia 04/04 começa o ciclo Viva o Cinema Novo! com Rio 40 Graus, de Nelson Pereira dos Santos.
Sempre com entrada franca!

Cineclube Sesi: "O Intruso", de Claire Denis
Louis é um homem recluso e rude de 68 anos que vive em uma paisagem isolada da Suíça, com seus cães. Um ataque cardíaco o força a viajar à Coreia para conseguir um transplante no mercado negro. Ele compra um barco e navega até uma ilha próxima ao Taiti para encontrar o filho que ele abandonara anos atrás, mas sua jornada é ameaçada quando seu corpo começa a rejeitar o coração recém-adquirido. "O Intruso" é um quebra-cabeça enigmático feito de memória e imaginação, que desafia e recompensa o espectador. Uma reflexão poética e assombrosa sobre a vida, a morte e a identidade.

Serviço:
dia 28/03 (quinta)
às 19h30
na Sala Multiartes do Centro Cultural do Sistema Fiep
(Av. Cândido de Abreu, 200, Centro Cívico)
ENTRADA FRANCA

Realização: Sesi
Apoio: Atalante

“Dramaturgias Curitibanas 2011/2012”

(Imagem: Divulgação)



Na próxima quinta-feira (28), o Teatro Novelas Curitibanas sedia o lançamento do livro “Dramaturgias Curitibanas 2011/2012”. A publicação chega a sua quarta edição. Seis autores da cena curitibana marcam presença no livro.

Das 18h às 20h, o anuário teatral da cidade já será distribuído gratuitamente aos interessados.

Para mais informações, acesse: http://ow.ly/i/1LozA

WUNDERBAR

(Imagem: Divulgação por Manolo Kottwitz)

Selvática Ações Artísticas apresenta:

WUNDERBAR d'O Estábulo de Luxo

compondo a Programação do 5º Coletivo de Pequenos Conteúdos - Festival de Curitiba

QUANDO:
28/03-22:00h | 29/03-16:00h | 30/03-19:00h | 31/03-22:00h | 01/04-16:00h

ONDE:
Teatro Universitário de Curitiba TUC (Galeria Julio Moreira - Largo da Ordem)

QUANTO:
R$ 20,00 inteira | R$10,00 (A venda nas bilheterias oficiais do festival e no site)

SINOPSE:
Lewis Carroll transubstanciado e dublado orgulhosamente apresenta a heroína da noite, a heroína da veia, com rapidez porque o tempo destrói tudo.
Alice fareja e caça um coelho ariano sem olhar para os lados ao atravessar ruas. Buracos são abertos pela prefeitura por todos os cantos em época de eleição, a menina não tem medo de escorrer por buracos errados. Quer ver a sua cidade por baixo. Maravilhoso! A música é engolida abruptamente, beba-me! O Gato, no alto de uma árvore, sorri um sorriso metálico, gargalhada melancólica que se propaga em ondas pelo ar. A Rainha de olhos fechados caminha por seu território. Está cansada, sonâmbula e é hipnotizada pelo som da gaita gargalhada.
Ali se assiste ao espetáculo, Alice protege-se da terra estrangeira.
O coelho aparece e desaparece sutilmente. O espetáculo começou. A lagarta dubla "Non, je ne regrette rien".

FICHA TÉCNICA Direção: Ricardo Nolasco | Elenco: Danielle Campos, Juliane Souto, Stéfano Belo, Thaís Itapema, Victor Hugo Vieira | Coreografia: Juliana Caillot | Produção e promoção: Selvática Ações Artísticas / Gabriel Machado | Assistência de Produção: Janaína Micheluzzi

Exposição Fotográfica "Mãos de Fátima"

(Imagem: Divulgação)

Exposição fotográfica apresenta versatilidade teatral de Fátima Ortiz
Mostra realizada por Eduardo Camargo faz parte da programação do Festival de Curitiba

Com mais de quatro décadas de carreira dedicada do teatro, Fátima Ortiz divide-se entre os trabalhos de atriz, diretora, escritora e arte-educadora. Diversos profissionais que hoje atuam na área artística já passaram ou trabalharam com Fátima, que nasceu no Rio Grande do Sul mas radicou-se em Curitiba ainda jovem. O trabalho da profissional passa por espetáculos infantis, apresentados em quase todo o Brasil, assim como peças adultas e trabalhos educacionais voltados para crianças e adolescentes de comunidades carentes.

Para registrar um pouco dessa versatilidade artística de Fátima Ortiz, o fotógrafo Edu Camargo apresenta a exposição “Mãos de Fátima”, que faz parte da programação do Festival de Curitiba 2013. Ela fica em cartaz de 28 de março a 07 de abril no Memorial de Curitiba, com entrada franca.

“São 15 imagens da artista, onde fica aparente a essência expressiva de Fátima, trazendo na ponta dos dedos a magia do teatro”, explica Edu Camargo. Por meio de um ensaio que mescla imagens digitais e analógicas, o fotógrafo entra em contato com Fátima num diálogo improvisado entre a câmera e a atriz. Esta exposição de Edu Camargo inicia uma série de ensaios com retratos de personagens de Curitiba.

Serviço
Exposição fotográfica: “Mãos de Fátima”
Fotógrafo Edu Camargo
Produção Laiz Zotovici
Maquiagem: Carmen Rodriguez
Realização: UV Studio
Local: Memorial de Curitiba - térreo
Endereço: Rua Claudino dos Santos, 79 – Centro Histórico – Curitiba-PR
Horário: 9h às 18h (3ª a 6ª feira) e 9h às 15h (sábado, domingo e feriado)
Abertura: 28 de março, às 19:00h.
Período expositivo: 28 de março a 07 de abril de 2013
Horário: das 9:00h às 21:00h.
Entrada gratuita. 

quarta-feira, 27 de março de 2013

27 DE MARÇO - DIA MUNDIAL DO TEATRO

(Imagem: Site Recanto das Letras)

A ORIGEM DO TEATRO

Estudos Literários

Surgido nas sociedades primitivas como ritual mágico destinado a obter o favor dos Deuses na caça ou na colheita, e logo vinculado ao desenvolvimento das primeiras religiões, o teatro é uma das mais antigas expressões artísticas da humanidade: em todas as épocas e entre todos os povos existe o desejo de desempenhar temporariamente o papel de outrem, fantasiar-se e falar à maneira dele.

O TERMO - teatro surgiu na Grécia; porém em língua portuguesa veio do latim theatrum, que por sua vez originou-se do grego théatron, derivado do verbo ver = theaomai, ou seja, théa = vista, visão (no sentido de panorama) + o sufixo [-tron] = instrumento, donde, "lugar onde se vê".
O vocábulo teatro apresenta as seguintes acepções:
a) Local onde se realizam os espetáculos.
b) Os próprios espetáculos.
c) O conjunto de textos, produzidos por um autor e a interpretação.
Essas três acepções, somadas, levam-nos a ideia de que o teatro é a arte do espetáculo. Contudo, nem todo o espetáculo é teatro. Para que seja teatro são imperativos a pré-existência do texto e a representação sobre um palco. Sob essas características, texto e ação, o teatro adquire seu verdadeiro significado.

A ORIGEM - Se fossemos buscar as origens primitivas do teatro, nos perderíamos no tempo falando de cerimônias e ritos religiosos cheios de magias e símbolos que eram verdadeiros espetáculos teatrais. Para sermos práticos vamo-nos apoiar em documentos.
É difícil precisar quando surgiram as primeiras manifestações cênicas; entretanto, crê-se ter surgido entre os povos primitivos como parte de rituais, pois as sociedades primitivas realizavam rituais e práticas religiosas que continham elementos teatrais como a dança e as representações cênicas, destinadas a acalmar ou agradar os deuses e deles obter favorecimentos para a sobrevivência (fertilidade da terra, sucesso nas batalhas, etc.). Não raro, os personagens destas danças usavam máscaras que representavam seus deuses. De modo que podemos considerar o teatro como uma das mais antigas formas de arte.
A informação que temos vem das pinturas em cavernas e da decoração em artefatos. As informações mais completas e detalhadas que chegaram até nós, referem-se às encenações teatrais da Antiguidade Grega.
Os gregos podem ter acreditado que foram eles os inventores do teatro, mas de acordo com os registros deixados pelo povo egípcio, eles precederam os gregos nas apresentações públicas. Os documentos revelam que os egípcios tinham, nas encenações, uma das expressões de sua cultura. Essas representações tiveram origem religiosa, cuja finalidade era exaltar as principais divindades da mitologia egípcia, principalmente, Hórus, Osíris e Ísis.
A história do deus Osíris, um drama mitológico, representado anualmente nos festivais, é a peça mais antiga que se conhece (escrita em 3200 a. C.). Relata a história do assassinato do deus Osíris por seu irmão Seth. O texto dessa peça, escrito num papiro, foi descoberto por arqueólogos em Luxor, no ano de 1895. Ele contém, entre outras coisas, as ilustrações das cenas, as palavras ditas pelos atores que representam a história e comentários explicativos. A morte de Hórus também era um dos temas centrais do teatro egípcio. E foi do Egito que elas passaram para a Grécia, onde o teatro desenvolveu-se admiravelmente, graças à genialidade dos dramaturgos gregos.
No continente asiático o teatro também já existia, embora, com outras características, que ainda hoje o singularizam. Na china, por exemplo, há referências de espetáculos teatrais - que envolviam música, palhaços e acrobacias - desde 2205 (um pouco depois do egípcio) e que se prolongou até 1766 antes da era cristã, durante a Dinastia Hsia. O que, cronologicamente, dá aos chineses o segundo lugar na hierarquia teatral.
A Índia começou a desenvolver seu teatro cinco séculos antes da era cristã. Os poemas Ramayana e Mahabharata podem ser considerados as primeiras peças originadas na Índia. Esses épicos forneceram a inspiração para os primeiros dramaturgos indianos, como Bhasa no (século II a. C.). Portanto, o teatro egípcio, o chinês e o indiano, surgiram muito antes do teatro grego.
O Japão e a Coréia, mesmo sem contatos com o mundo ocidental, desenvolveram, formas próprias de teatro. No Japão, o sacerdote Kwanamy Kiyotsugu, que viveu entre os anos de 1333 e 1384 da era cristã (Idade Média), foi o primeiro dramaturgo japonês. O seu teatro era de extrema perfeição técnica. Tinha entre suas principais manifestações, a dramaturgia Nô, surgida do ensino do budismo Zen e dotada de grande complexidade psicológica e simbólica, e o Kabuki, mais popular, embora igualmente importante.
Verificando-se que as representações, nestas nações assumiram cunho inteiramente diverso do grego, não é sem razão afirmarmos que, somente para o mundo ocidental, a Grécia é considerada o berço do teatro. ®Sérgio.

Fonte: Site Recanto das Letras.

E começa o Festival de Curitiba 2013!

(Imagem: Internet/Site Festival)

E inicia o maior festival de teatro brasileiro, o Festival de Teatro de Curitiba - edição 2013.

Estive hoje no Shopping Mueller e enfrentei o transtorno de pegar senha, aguardar um bom tempo na fila, mesmo sendo para trocar o voucher de compra antecipada via internet. Fiz a compra online para evitar este tipo de situação, mas pouco adiantou. O "perrengue" de sempre!... Só não foi pior pelo fato de serem 3 pontos de venda oficial este ano. À noite, acompanhei a reportagem sobre o Festival no Jornal da Globo, com direito de conferir a coordenação vendendo seu "peixe".

Pois é, desacreditado quando surgiu há cerca de 20 anos atrás, hoje ostenta títulos e números impressionantes. Fez história na cidade e no país. Criou polêmicas. Estimulou debates e discussões sobre suas escolhas, sobre o perfil que adotou, etc.
Sem dúvida, o Festival desempenha importante papel na cena curitibana, como agente de estímulo, canal de divulgação e trampolim para artistas, espetáculos e profissionais da área.
Já o evento não teria esta longevidade se não tivesse um caráter bastante mercadológico para se manter firme e forte, crescer a cada ano, ser um atrativo para corporações e poder público e se transformar na vitrine que é!

Assim, bem ou mal, o Festival se mantem e segue em frente. Resta saber se, efetivamente, ano após ano, a organização do evento está amadurecendo e melhorando, e se possui a preocupação de oferecer uma estrutura melhor para quem participa como artista e para quem consome seus espetáculos.

Simone Mazzer no Wonka!

(Imagem: Divulgação)



LUIZA POSSI "Especial Piano & Voz"

(Imagem: Divulgação)


Beleza, leveza e graça: Luiza Possi retorna a Curitiba
A cantora faz única apresentação na cidade da turnê “Seguir Cantando”

A música vem de berço. A mãe é a cantora Zizi Possi, o pai é o produtor musical Líber Gadelha. O caminho artístico foi quase inevitável, e sua paixão por cantar e compor mais ainda. Luiza Possi chega aos 30 anos com os pés no chão e com um caminhado bem trilhado. Os dez anos de carreira são comemorados com o DVD “Seguir Cantando”, gravado ao vivo no Citibank Hall, em São Paulo, e que será apresentado em Curitiba dia 27 de março, no Teatro Canal da Música.

O seu novo trabalho surpreendeu críticos e fãs. Primeiro pelos convidados que participaram do DVD: Ivete Sangalo, que aquece duas músicas “Circo Pega Fogo” e “Azul”; e também sua mãe, com quem canta a faixa “Cacos de Amor” e uma versão para “Love Comes to Everyone”, do beatle George Harrison que virou “Amor Vem Para Cada Um”. Segundo porque ela se descortina compositora, oito faixas são criações suas, entre elas “Na Sua”, “Dias com Mais Horas” e “Minha Lua”. Terceiro porque ela se revela intérprete de peso ao cantar “Deixa Estar”, de Brandileone, “Abençoador”, de Paulo Novaes, “Vem Ver”, de Pedro e Rita Alterio, “Balance”, de Sara Tavares, “Maneiras”, de Sylvio da Silva, e “Folhetim”, de Chico Buarque.

Toda essa performance da jovem cantora estará na única apresentação que faz na capital paranaense depois de um jejum de dois anos que não vinha à cidade.

Disk Ingressos no telefone 41 3315 0808
ou nos quiosques instalados nos shoppings Mueller, Estação e ParkShoppingBarigui.

Custam R$ 60 inteira e R$ 30 meia entrada que é válida para estudantes com carteirinha, pessoas acima de 60 anos, professores e doadores de sangue. 

Quando: quarta, 27/03, 20h30.
Rua Júlio Perneta 695 Mercês, Curitiba.

domingo, 24 de março de 2013

Último dia de MUNDO PERFUMADO!

(Imagem: Divulgação)

Dança perfumada bonita de ver... E tem aquela música linda do Tom, cantada pela maravilhosa Elis:
É, você que é feito de azul,
Me deixa morar nesse azul,
Me deixa encontrar minha paz,
Você que é bonito demais,
Se ao menos pudesse saber
Que eu sempre fui só de você,
Você sempre foi só de mim...
Ah, demais mesmo...

Primeiro Ato traz novo espetáculo a Curitiba e deixa seu perfume no ar!
Só fiquei pensando se a Reitoria foi o melhor lugar pra apresentação... Senti falta daquele distanciamento de teatro de palco italiano, com profundidade e com possibilidade de acompanhar a coreografia de uma outra perspectiva.
Mas, sem dúvida, vale a pena sair de casa, enfrentar as baixas temperaturas e a chuvinha da cidade e conferir esse Baile! Como diz a canção: "Você que é bonito demais..."!

Mundo Perfumado
Teatro da Reitoria, 20 horas.
Endereço: R. XV de Novembro, 1.299, Centro, Curitiba
(41) 3360-5066

Último dia Algum Lugar Nenhum!

(Imagem: Divulgação)

O espetáculo aborda o tema “sonhos”, que passa por um universo de paisagens psíquicas, onde o real e o imaginário se misturam.

Maureen Miranda faz espetáculo com referências pessoais a partir de universo onírico. Sintonia no elenco, boas falas, participação de Octavio Camargo tocando Beethoven ao vivo no piano e Chiris Gomes soltando a voz são os pontos fortes da peça!

Direção e roteiro de Maureen Miranda. Elenco: Chiris Gomes, Felipe Custódio, Maureen Miranda e Octávio Camargo.

Serviço:
Algum Lugar Nenhum – peça teatral, drama.
Até hoje - 24 de março, às 19 horas.
Ingressos: R$ 10,00. Desconto de 20% para o Cartão Teatro Guaíra.

Último dia de TEMPESTADE INABITADA!

(Imagem: Divulgação)

Ultima apresentação de TEMPESTADE INABITADA!
Teatro Novelas Curitibanas, 20h.
Rua Carlos Cavalcanti, 1.222 – São Francisco, Curitiba.
Entrada franca, ingressos distribuídos 1h antes do início.
Telefone: (41) 3321-3358



Sobre o espetáculo "Homem ao Vento"

(Imagem: Divulgação)

O Grupo de Teatro "Tanahora" atua desde 1980 em Curitiba. Primeiro com a direção de Lineu Portela e a partir de 1988 sob o comando de Laercio Ruffa. Ao longo destes anos, vem desenvolvendo atividades diversas, promovendo o Teatro junto aos acadêmicos da PUC (entidade mantenedora), à comunidade e junto à classe artística. Teve a oportunidade de se apresentar em outras cidades, participar de festivais, receber prêmios, etc e tal. Abrigou atores em início de carreira e com grande potencial, lançou talentos, estimulou o fazer teatral de diversas formas e vem mostrando seu trabalho ano a ano nas últimas décadas, formando platéia e deixando sua marca.

Atualmente o Grupo conta com equipe de criadores, preparadores, espaço e elenco (profissional e amador) com possibilidades diversas de realização. Ao mesmo tempo, é preciso administrar a tarefa de conciliar a sua atuação junto a uma instituição educacional e religiosa. O Teatro (sob a batuta de Dionísio, deus grego do vinho e da insânia) em ambiente apolíneo (racional e casto). Nietzsche e outros autores já refletiram e escreveram muito bem sobre isso e as possíveis consequências e resultados. Tive a oportunidade de conferir produções do "Tanahora" e tinha como referência peças corretas, com resultados razoáveis, registros de acordo com esperado no meio em que se insere.

Fui ao TUCA (Teatro da PUC PR) neste final de semana com a expectativa de ver um esperado trabalho adequado, mas a apresentação me surpreendeu (para melhor). Evitarei descrever cenas e momentos do espetáculo para reservar a surpresa da encenação para aqueles que ainda não tiveram a oportunidade de conferi-la. Mas desde o seu início percebi claramente o interesse da cia. em buscar novas possibilidades e de se aventurar por caminhos que antes poderiam parecer tortuosos de serem trilhados.
Primeiro acerto foi a escolha de Marcos Damaceno para assinar o texto da peça, a partir de obra de Antoine de Saint-Exupèry. Pelas palavras de Ruffa em material de divulgação, "Para o Tanahora é sempre um privilégio poder trabalhar com profissionais do teatro curitibano que nos apontam um caminho desafiador a percorrer". E acredito que tenha sido realmente desafiador e desafio aceito resultou num trabalho que (pelo menos dos registros que tenho) traz novos ares às encenações do Grupo.
Observação: assim que entramos no espaço cênico e as luzes se apagaram, parte do público demonstrou incômodo rindo e se  dispersando, cabendo à produção interromper a situação e solicitar silêncio para que a apresentação pudesse iniciar. Na sequência, pude conferir os melhores minutos iniciais de espetáculo dos últimos tempos!
Outros acertos foram a escolha da ambientação cênica, equipe de criadores trabalhando em sintonia (iluminação, trilha e figurinos) e ótima preparação de corpo e voz. Além disso, o elenco realizou com eficiência a partitura proposta do espetáculo. O Grupo trilhou novo caminho, num processo amadurecedor e realizou um trabalho digno de elogios. Parabéns ao "Tanahora" por se aventurar em novas possibilidades e por se renovar nesta altura de sua trajetória. E que venham novas propostas cada vez mais desafiadoras e inovadoras. Os deuses do teatro e o público agradecem!

sábado, 23 de março de 2013

Ney Matogrosso faz única apresentação do show Atento aos Sinais

(Imagem: Divulgação)


Única apresentação de Ney Matogrosso em Curitiba
Nessa nova turnê, Ney adianta que vai começar o show com rock e terminar com pop, uma proposta dançante e nada intimista. Seu repertório concilia com as músicas de artistas projetados nos últimos anos – Cr iolo, Dan Nakagawa, Maria Gadú, entre outros –, e ao lado de nomes consagrados como Arnaldo Antunes, Chico Buarque, Lenine, Lobão e Itamar Assumpção.

No palco, ele será acompanhado por uma banda de primeira categoria, que é formada pelos músicos Marcos Suzano (percussão), Arthur Maia (baixo) e Davi Moraes (guitarra). Fotos: Marcelo Faustini.

Serviço:
Atento aos Sinais – Novo show com o cantor Ney Matogrosso.
Dia 23 de março, sábado, às 21 horas,
Auditório BBento Munhoz da Rocha Netto - Guairão
Ingressos: R$240 (plateia), R$180 (1º balcão) e R$100 (2º balcão). Meia-entrada para estudantes e maiores de 60 anos.
Desconto de 40% para cartão do Clube do Assinante da Gazeta do Povo ( não cumulativo com outras promoções ou descontos beneficiados por lei)
Classificação: livre.
O espetáculo tem assinatura de Verinha Walflor.

Água Viva abre as portas!

(Imagem: Divulgação)











Quando: sábado, 16h.
Onde: Rua Celeste Santi, 90 - Curitiba
O Água Viva Concentrado Artístico abre as portas!

Festa de lançamento do Água Viva Concentrado Artístico:

No dia 23 de março, às 16 horas, coletivos e artistas se reúnem para um bate-papo sobre questões que tocam a organização coletiva e individual para produzir arte e desdobramentos como sobrevivência, resistência e afetos. Vale lembrar que a conversa é aberta e toda participação será muito bem-vinda!

A festa começa às 19 horas e contará com a participação da banda e/ou, com uma discotecagem de vinil e venda de cachaca e cerveja, além da estreia da instalação Água Viva.

A entrada é franca e a ideia é que seja um encontro de integração, reflexão e celebração!

sexta-feira, 22 de março de 2013

"Sobre o Habitar o Intervalo"

(Imagem: Divulgação)

Exposição de Marcos Frankowicz e Guilherme Jaccon

Abertura: 23 de março às 11 horas
Visitação: De 23 de março a 7 de maio de 2013
Visita Guiada com os artistas - 7 de maio às 15h
Bate-papo com os artistas selecionados - 29/06 às 10h

SOBRE O HABITAR O INTERVALO:
É uma série de três instalações interativas planejadas para explorar relações de aproximação e distanciamento entre os participantes. Essas relações são trabalhadas com registros e memórias de imagens e sons, que são guardadas na memória do computador e recolocadas no ambiente na forma de silhuetas humanas, faces borradas e sons misturados uns aos outros, resultando em um espaço de interatividade onde o participante interage indiretamente com outros participantes.

Praça Generoso Marques, 180, Curitiba.

MUNDO PERFUMADO!

(Imagem: Divulgação)


320 ANOS – Programação de Aniversário de Curitiba

(Imagem: Divulgação)


Confira a programação especial para a comemoração dos 320 anos de Curitiba. Venha se divertir e mostre que Curitiba é sua! É você quem faz a cidade acontecer todos os dias.
Dia 23/03

Núcleo Regional Boa Vista
13h00: Dança Cigana – CATI Boa Vista
13h30: Bumba Meu Boi – Folclore
13h30: Grupo Reviver Down – apresentação de dança de salão
14h00: Grupo de Capoeira
15h00: Banda Doctor Dalmam
16h00: Banda Museos
17h00: Banda Crocodilla
Local: Parque Bacacheri
Endereço: Av. Canadá, s/n°, Bacacheri
Ingresso: gratuito

Nucleo Regional Matriz – Ruínas de São Francisco
14h00: Banda MUV
15h00: Banda Ruido/MM
16h00: Banda Big Time
17h30: Banda Namastê
18h20: Banda Charme Chulo
19h20: Banda Lemoskine
20h40: Banda Apanhador Só
Ruínas de São Francisco
Praça João Cândido, entre as ruas Dr. Kellers e Jaime Reis, São Francisco
Ingresso: gratuito

quinta-feira, 21 de março de 2013

UMA OUTRA CANÇÃO.

(Imagem: Divulgação)

Dirigi este espetáculo em 2006, produção da Benedita Cia. de Teatro. Elenco: Lilian Marchiori, Mariana Macedo e Mevelyn Gonçalves.
A peça retratava a trajetória de três mulheres em situações diversas existenciais.
Tendo como referência a obra de Raul Cruz (artista plástico e diretor de teatro de Curitiba), o espetáculo estreou no Espaço Dois e teve iluminação de Daniele Regis, figurino de Karla Lara, maquiagem de Lilian Marchiori e trilha sonora a partir da obra de Los Hermanos. Belo resultado final (sou suspeito para falar).
Participamos do Fringe em 2007. E agora sou pego de surpresa com a divulgação desta foto pelo Festival de Curitiba para a edição 2013, com frase de Tchekhov sobre solidão! Casou tão bem com a proposta de peça que vou retomar minhas leituras do autor para, quem sabe, um próximo projeto! De qualquer forma, agradeço a todos que contribuíram, de uma forma ou de outra, para a realização do deste projeto! O teatro é efêmero, mas as boas lembranças permanecem!

Café com Livros — 3ª edição

(Imagem: Divulgação)


Neste sábado (23), das 10h às 13h, a Livraria Arte & Letra realiza a terceira edição do “Café com Livros”, com descontos de no mínimo 30% em livros selecionados, entre literatura nacional e estrangeira, de ficção e não-ficção.

Durante o evento, o café da livraria estará com uma promoção especial para quem aprecia um café da manhã acompanhado por um bom livro.

Serviço
Café com Livros
Dia 23 de março, sábado, das 10h às 13h.
Local: Livraria Arte & Letra (Alameda Presidente Taunay, 130 – fundos da Casa de Pedra – Batel – Curitiba – PR). Telefone: (41) 3039-6895
Entrada franca.

METAL METAL

(Imagem: Divulgação)


Pra dar início à temporada de shows no Teatro Paiol, dia 12/04- SEXTA, 21h- Show de lançamento de um dos álbuns mais elogiados de 2012- "Metal Metal", com Kiko Dinucci, Juçara Marçal, Thiago França e Meno del Picchia!

III Colóquio Celso Furtado sobre Cultura e Desenvolvimento

(Imagem: Divulgação)

O Ministério da Cultura, por meio da Secretaria da Economia Criativa (SEC/MinC), realiza amanhã (21), em Curitiba (PR), no auditório do Prédio Histórico da Universidade Federal do Paraná (UFPR), das 9h às 12h30, o III Colóquio Celso Furtado sobre Cultura e Desenvolvimento. A abertura será feita pela secretária da SEC, Cláudia Leitão.

O terceiro encontro tem como tema a Inovação, Tecnologia, Cultura e Desenvolvimento e faz parte de uma série de colóquios que a SEC/MinC vem realizando nas cinco regiões brasileiras. O objetivo dos encontros é promover um debate nacional sobre o papel da Cultura para o desenvolvimento do País a partir do pensamento de Celso Furtado.

O primeiro aconteceu em Campina Grande (PB), em julho de 2012, e o segundo foi realizado em Brasília, em novembro do ano passado. Os próximos estão previstos para este ano: em Belém (PA), no mês de maio; e Belo Horizonte (MG), em agosto.

Os colóquios têm a curadoria do professor doutor Cesar Bolaño, Universidade Federal de Sergipe (UFS). O encontro de Curitiba contará com as palestras do professor doutor Alain Claude Henri Herscovici, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES); e do professor doutor Sérgio Scheer, Universidade Federal do Paraná (UFPR).


Legado teórico e de ação para o desenvolvimento do País

Como economista, Celso Furtado marcou o pensamento econômico brasileiro e deixou uma obra de mais de 30 livros publicados em mais de 15 idiomas. É considerado o cientista social latino-americano mais lido em todo o mundo. Além de teórico, foi também um homem de gestão.

Durante o governo de Juscelino Kubitschek (1956-1961), criou e dirigiu a SUDENE (Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste). Também foi ministro do Planejamento do ex-presidente João Goulart (1961-1964) e, mais recentemente, na década de 1980, ministro da Cultura no governo José Sarney, durante a redemocratização do país.


Cineclube Sesi: "O Pântano", de Lucrecia Martel

(Imagem: Divulgação)

No dia 21/03 (quinta) o Cineclube Sesi apresenta o filme "O Pântano", de Lucrecia Martel dando prosseguimento ao ciclo A Mulher no Cinema que se encerra no dia 28 com "O Intruso", de Claire Denis.
Sempre com entrada franca!

Cineclube Sesi: "O Pântano", de Lucrecia Martel
Sinopse:
A cidade de La Cienaga é conhecida pelas extensões de terra que se alagam com as chuvas repentinas e fortes, formando pântanos que são armadilhas mortais para os animais da região. Perto da cidade fica o povoado de Rey Muerto, em que está localizado o sítio La Mandrágora, onde são cultivados pimentões vermelhos. Para ele vão duas famílias, lideradas por Mecha (Graciela Borges) e Tali (Mercedes Morán). Mecha é uma mulher em torno de 50 anos, que tem 4 filhos e um marido que procura ignorar bebendo cada vez mais. Já Tali é prima de Mecha e também tem 4 filhos, sendo que ama seu marido e sua família. Em meio a um verão infernal, as duas famílias entram em conflito quando a tensão entre elas aumenta.

Sobre o filme:
Talí – mãe dedicada que faz de tudo pela criação dos filhos
Mecha – mulher aparentemente indiferente aos filhos e ao marido
Cienaga – cidade úmida no norte da argentina.
Esse é o pântano, trabalho de estréia da cineasta Lucrécia Martel, apontada como principal expoente do atual cinema argentino.
Com um jogo de intencionalidade, Lucrecia articula: desajuste familiar, religiosidade e sexualidade – em um filme físico de narrativa ébria, ambiente claustrofóbico e personagens mergulhados em um invariável torpor.

Guimarães Neto
(Associação Paraense de Jovens Críticos de Cinema)

Serviço:
dia 21/03 (quinta)
às 19h30
na Sala Multiartes do Centro Cultural do Sistema Fiep
(Av. Cândido de Abreu, 200, Centro Cívico)
ENTRADA FRANCA

Realização: Sesi
Apoio: Atalante

quarta-feira, 20 de março de 2013

Teatro do PR é homenageado com o Prêmio Shell

(Imagem: Divulgação)

A Cia. Brasileira de Teatro teve seu trabalho na montagem da peça Esta Criançareconhecido com quatro prêmios: direção, melhor iluminação, melhor cenário e melhor atriz. Teca Ficinski levou o prêmio de Melhor Figurino por Valsa nº 6
Fonte: Caderno G – Gazeta do Povo

Não teve para mais ninguém. A principal premiação do teatro brasileiro, o Prêmio Shell, celebrou na noite de terça-feira (19) a qualidade do teatro feito no Paraná. A Cia. Brasileira de Teatro dominou a noite de premiações no Teatro Tom Jobim, no Rio. O grupo curitibano teve seu trabalho na montagem da Esta Criança reconhecido com quatro prêmios: direção (Marcio Abreu), melhor iluminação (Nadja Naira), melhor cenário (Fernando Marés) e melhor atriz (Renata Sorrah). A peça estará em cartaz em Curitiba nos dias 31 de março e primeiro de abril, durante o Festival de Teatro.

A atriz Renata Sorrah disse em seu discurso: “Para mim é muito especial conquistar esse prêmio, porque eu o recebo no palco onde toda essa história começou. Foi aqui (teatro Tom Jobim) que eu assisti a essa companhia (Cia. Brasileira de Teatro) pela primeira vez", disse a atriz, referindo-se à peça Vida, encenada pelo grupo no Rio em 2010. "Quando eu vi essa peça eu me apaixonei por eles. Eu saí do teatro querendo trabalhar com eles, fazer parte desse grupo, conhecer esse diretor, esses atores. Então eu realmente sonhei em estar aqui com eles, e esse sonho se realizou.”

Tanto Renata quanto o diretor Marcio Abreu estavam muito emocionados. Ele, que é carioca mas vive em Curitiba, disse que tem um amor incondicional pelos criadores de Esta Criança e pela companhia.
Nadja Naira, que levou o prêmio de melhor iluminação pela peça, mostrou-se surpresa. "Estou chocada. O teatro a gente não faz sozinho, a gente faz com vocês. Dedico então esse prêmio à minha companhia de teatro de Curitiba", disse ela.

Outra curitibana, Teca Ficinski levou o prêmio de Melhor Figurino por Valsa nº6. Ao receber o troféu, ela disse que sonhou com o figurino do espetáculo. "Isso aqui é um sonho. É um sonho mesmo porque eu sonhei com o figurino do espetáculo e depois fui correndo contar para o elenco, que abraçou a ideia. Sonhei com a Luiza Tirré (atriz) enrolada no vestido no Theatro Municipal. Eu divido esse prêmio com alguém que está aqui, mas não mora aqui. Pai, é nosso", disse ela, visivelmente emocionada. Teca é filha do arquiteto e urbanista Lubomir Ficinski.

Um dos momentos mais emocionantes da noite foi a homenagem póstuma ao ator Walmor Chagas, morto aos 82 anos no último 18 de janeiro, mas foi lembrado e exaltado por suas inúmeras contribuições ao teatro como ator e produtor, ao longo de vitoriosos 64 anos de carreira.

Alexandre Elias recebeu o Shell pela música da peça Gonzagão - A lenda, que estará em cartaz no Festival de Teatro de Curitiba nos dias 31 de março e primeiro de abril.


ana larousse (c/ leo fressato)

(Imagem: Divulgação)

Mulheres de Março. Celebração da intensidade de mulheres, cuja realização artística se materializa hoje, com a licença e a inspiração de Euterpe, e a proteção de Apolo. Nesta quarta-feira 21h no Bar Wonka, Ana Larousse apresenta, ao lado do parceiro Leo Fressato, as composições que estarão no seu disco e mais uma porção de outras lindas canções !

Venha tomar um vinho e aquecer o frio com a voz desses dois talentosos compositores!

Quando: hoje, quarta, 20/03 – 22h.
Onde: Bar Wonka
Rua Trajano Reis, 326 - São Francisco, Curitiba.

terça-feira, 19 de março de 2013

MOSTRA BAIANA NO FRINGE 2013!

(Imagem: Divulgação)


UMA TRADUÇÃO CONTEMPORÂNEA PARA O BUTOH!

(Imagem: Divulgação)




















Projeto "Desplante.doc" de Laura Pacheco em parceria com Loa Produções convida:

OFICINA: UMA TRADUÇÃO CONTEMPORÂNEA PARA O BUTOH - O movimento como linguagem própria

Minako Seki trabalha com uma metodologia própria denominada "Método Seki", que parte do butoh para investigar estados corporais diferenciados que servem para investigação tanto para a criação em dança, como também em teatro, performance, dança-teatro e teatro físico. Busca-se o próprio movimento através de um treinamento fundamental, onde o participante aprende a trabalhar com a energia básica de seu corpo, assim como a estabelecer o contato com o grupo. Estimula-se também a relação com a técnica do movimento como princípio físico da cinética, mediante diversos exercícios realizados em suspensão. Desse modo, estimula-se e a tradução do movimento próprio, explorando a imaginação e a emoção enquanto material para criação de movimento em imagens corporais em dança.


Minako Seki nasceu em Nagasaki, Japão. Desde 1985, dançou em Tóquio com a companhia DanceLoveMachine - com a qual foi à Europa convidada pela Berlin Arthouse Bethanien. Ficou em Berlim e, em 1987, se tornou cofundadora e diretora de Tatoeba - TÉÂTRE DANSE GROTESQUE, o primeiro grupo de butô germano-japonês. Desenvolveu o estilo deste grupo (o qual, entre outras características, possui a de centrar-se nos potenciais adormecidos dos seres humanos), em 48 produções como bailarina, coreógrafa e diretora. Desde 1996, focou-se em seu trabalho como diretora, coreógrafa e docente.

Público: Workshop dirigido a pesquisadores, bailarinos atores e demais pessoas interessadas em desenvolver um olhar contemporâneo sobre a questão cênica na dança contemporânea e butô.


projetooficinacuritiba.blogspot.com

Data: 24/03
Local: Vila arte Espaço de Dança
R. Saldanha Marinho, nº 76, Sala 3, Curitiba – Brasil
Horários: das 14h00 as 18h00
Investimento: R$80,00
Informações: projetooficinacuritiba.blogspot.com | tel (41) 9682 8467 | loaproducoes@gmail.com

Fonte: Evento Loa Campos Facebook

DESPLANTE. doc

(Imagem: Divulgação)






















O espetáculo será apresentado no dia 23 de março, próximo sábado.
Local: Casa Hoffmann
Horário: 20h00
Entrada Gratuita!

ADÉLIA CHEGA EM CURITIBA!

(Imagem: Divulgação)


Depois de sete meses em cartaz no Rio de Janeiro, “Adélia” circula pelo país!

Contemplados com o prêmio de circulação Myryan Muniz, a Companhia de Teatro
Íntimo comemora oito anos de existência levando seu espetáculo “Adélia” para Curitiba,
São Paulo, Belo Horizonte e Divinópolis (cidade onde nasceu a poeta Adélia Prado).


Temporada em Curitiba:

Datas e horários: 03,04 e 05 de Abril - 19h e 21h30.
Local: Ave Lola Espaço de Criação
Rua Portugal, 339 - São Francisco - 80510-280
Curitiba - Paraná - Brasil
+ 55 41 2112.9924
avelolacultural@gmail.com


segunda-feira, 18 de março de 2013

BLUES VELVET OFF THEATER [FESTIVAL DE CURITIBA]

(Imagem: Divulgação)


O Blues voltou...

E quarta tem ESPECIAL DE TEATRO + SHOW DE BLUES! 


Peças direto do Festival de Curitiba
VAMPIROS CURITIBANOS 320 ANOS
PARA OS INOCENTES QUE FICARAM EM CASA
SÓ VOA QUEM DISSER O EFEITO

e mais Blues com
HALLUCINATED LUCIAN'S GROUP

*Até 22h MULHER FREE - HOMEM R$6
*Após 22h MULHER R$6 - HOMEM R$10

#COMPANHIA: Jota Eme Produções 

Quando: nesta quarta, 20/03, a partir das 20h.
Rua Trajano Reis, 314, São Francisco, Curitiba

domingo, 17 de março de 2013

Sobre o espetáculo "Tempestade Inabitada"

(Foto: Fran Ferreira)

Cenário e iluminação se destacam.
Ponto bastante positivo para a MKF Produções Artísticas por investir em novas dramaturgias e por reunir talentos locais na realização de seus projetos.
Sobre Tempestade Inabitada, a peça anterior de Nina Rosa Sá (Em breve nos cinemas) demonstrou maior amadurecimento no seu resultado final. Por vezes, a narrativa de Tempestade mostra-se linear e o tom lírico acaba não sendo instigante.
A cenografia e a iluminação chamam a atenção e desempenham papeis importantes na encenação da peça.
Assisti ao espetáculo no início das apresentações e neste período o elenco ainda parecia pouco a vontade com a proposta. Atores de talento que são, ainda não haviam demonstrado toda a desenvoltura que possuem. Certamente, a temporada fará bem ao espetáculo e a encenação deve crescer! Vale conferir.

Tempestade Inabitada
Teatro Novelas Curitibanas (R. Pres. Carlos Cavalcanti, 1.222 – São Francisco), (41) 3321-3358. De quinta-feira a domingo, às 20 horas. Entrada franca. Até 24 de março.

“Múltiplo Leminski”

(Imagem: Divulgação)

Exposição fica em cartaz até 2013 e reúne shows, filmes, debates e oficinas
O Museu Oscar Niemeyer (MON) expõe, no Salão Principal, Olho, a exposição “Múltiplo Leminski”.
A mostra traz um pouco de tudo da vasta produção de Paulo Leminski. Com curadoria de Alice Ruiz, assistentes de curadoria Aurea Leminski e Estrela Leminski e design e ambientação de Miguel Paladino, a exposição prevê shows, filmes, debates e oficinas. O espaço do Olho terá nichos ambientados com as áreas que Leminski atuava, como música, poesia, tradução, cinema, grafite, quadrinhos etc. “Esta exposição contempla todas as facetas de Leminski”, afirma a curadora Alice Ruiz. A diretora do Museu Oscar Niemeyer, Estela Sandrini, diz que receber a exposição de Leminski é uma honra e uma alegria para o MON. “Além disso, é a maior exposição já feita sobre o Leminski em Curitiba e no Brasil”.

Serviço
Museu Oscar Niemeyer - Exposição “Múltiplo Leminski”
Abertura: 27 de outubro de 2012, sábado, 11 horas (entrada gratuita)
Até 5 de maio de 2013

Local: Salão Principal (Olho) Rua Marechal Hermes, 999. Centro Cívico, Curitiba – PR
Museu Oscar Niemeyer
Rua Marechal Hermes 999
Centro Cívico . 80530.230
Curitiba . PR
55 41 3350.4400
Veja como chegar

Terça a domingo
10h às 18h
R$6,00
R$3,00 (meia-entrada)
Venda de ingressos até 17h30
Ingressos e horários especiais

Lançamento de Golegolegolegolegah!

(Imagem: Divulgação)


Livro de contos de Marcio Renato dos Santos, com ilustrações de Marciel Conrado, publicado pela Travessa dos Editores.
Quando: terça, 19/03, 19h.
Local: Museu Guido Viaro - Rua XV de Novembro, 1348 - Curitiba – PR



Mostra seu Nariz – Palhaços como você nunca viu!

(Imagem: Divulgação)


Vem aí o Festival de Teatro de Curitiba e, com ele, a Mostra seu Nariz, que reúne espetáculos e cursos com um elemento em comum: o palhaço! A Cia dos Palhaços organiza a Mostra há três anos e em 2013 traz uma gama de espetáculos que podem agradar a adultos e crianças. As apresentações acontecem no Espaço Cia dos Palhaços e no Pátio da Reitoria da UFPR, com espetáculos pagos e gratuitos, e convidados nacionais e internacionais. Escolha sua peça, garanta seu ingresso e venha assistir!

Ingressos no local e nas bilheterias do Festival de Teatro. Informações: 3077-5009 / 9147-7206 ou www.mostraseunariz.com.br e www.ciadospalhacos.com.br.

Na Cia dos Palhaços você pode ver:
28/03 – Cabaré dos Palhaços (20h – Cia dos Palhaços)
29/03 – 3 é Bom, 2 é Demais (16h – Grupo Zibaldoni)
29/03 – Altos e Baixos (19h – Cia dos Palhaços)
29/03 – Tomate a Puro Tomate (21h – Palhaço Tomate)
30/03 – O Acróbata (16h – Seres de Luz Teatro)
30/03 – Pequeno Manual do Cavaleiro Andante (19h e 21h – Cia dos Palhaços)
31/03 – Bom Apetite (16h – Pé de Vento Teatro)
31/03 – De Malas Prontas (20h – Pé de Vento Teatro)
03/04 – Cuidado! Palhaços em Treinamento (21h – Cia dos Palhaços)
04/04 – Concerto em Ri Maior (21h – Cia dos Palhaços)
05/04 – Circulando (21h – Los Circo Los)
06/04 – Uma Boa Jogada (16h – Cia dos Palhaços)
06/04 – WWW Para Freedom (21h – Barracão Teatro)
07/04 – Circo do Só Eu (16h – Barracão Teatro)
07/04 – Noite de Gala (20h – Cia dos Palhaços)

No Pátio da Reitoria da UFPR você pode ver:
29/03 – Cuidado! Un Palaso Malo Puede Arruinar tu Vida (17h - Chacovachi)
30/03 – Estardalhaço (17h – Traço Cia de Teatro)
31/03 – Circo S/A (17h – Cia dos Palhaços)
06/04 – Cavaco e sua Pulga Adestrada (17h – Caravana Tapioca)
07/04 – Porongo Vaudeville (17h – The Pombazos Bros)

Cursos, na Cia dos Palhaços:
26 e 27/03 – Manual e Guia do Palhaço de Rua, com Chacovachi
01 e 02/04 – Oficina de balão para comediantes, com Tomate
08 a 10/04 – E o palhaço o que é?, com Esio Magalhães

quinta-feira, 14 de março de 2013

O espetáculo A Cidade será apresentado no Guairão com entrada franca

(Imagem: Divulgação)


Espetáculo de Olga Roriz faz única apresentação no Guairão

Depois de estrear em outubro de 2012 no Teatro Camões em Lisboa-Portugal, o balé A Cidade da Companhia Olga Roriz chega em Curitiba. O espetáculo aborda diversos fatores que envolve o ser humano como a pressão, contaminação, alienação e o desgaste que as pessoas sofrem, assim como os seus segredos e relações efémeras que se estabelecem entre os habitantes. A liberdade perdida da sociedade capitalista e o controlo visível e invisível, as proibições, a perda de tempo, a falta de espaço, o perigo e a solidão.

Ficha técnica:  Direção, seleção musical e figurinos: Olga Roriz
Intérpretes: Catarina Câmara, Maria Cerveira, Bruno Alexandre, Pedro Santiago Cal
Cenário: Pedro Santiago Cal

Serviço:
A Cidade
Dia 16 de março às 20h30
Auditório Bento Munhoz da Rocha Netto – Guaíra (Rua Conselheiro Laurindo, S/N, Curitiba, Centro).
Entrada Franca.


Exposição “Museu da Gravura em Ensaio”

(Imagem: Divulgação)


Uma pauta de fotojornalismo realizada no Museu da Gravura Cidade de Curitiba mexeu com a fotógrafa Priscila Forone. Aquele espaço, tão cheio de história e tão importante para a cidade de Curitiba, merecia um olhar mais atento, com tempo suficiente para poder registrar as entranhas do museu. E com essa intenção Priscila voltou ao local, iniciando um projeto que gerou a exposição “Museu da Gravura em Ensaio”, que está em cartaz a partir do mês de março e permanece até o mês de maio no Quintana Café e Restaurante.

Na mostra de 12 fotografias, Priscila focou em detalhes das marcas deixadas pelos artistas, que vêm ocupando os espaços para produção de gravuras nesses mais de 30 anos de funcionamento do espaço cultural. As ranhuras das mesas, as maravilhosas marcas do tempo em paredes e janelas, além de detalhes das marcas do uso do espaço pelos artistas, estão nos delicados registros.

Em papel especial, de padrões internacionais de qualidade para exposições, Priscila transformou o museu em imagens. E essas fotografias foram transformadas em verdadeiras obras de arte com um conceito denominado Fotografia Fine Art. Além disso, a presença física do museu é incorporada nas obras pela utilização de chassis de matrizes de serigrafia, utilizados por diversos artistas durante anos, como moldura para as imagens. Trata-se de uma verdadeira relíquia eternizada pela artista.
Avenida Batel, 1440,  Curitiba.

quarta-feira, 13 de março de 2013

Jorge Furtado faz bate-papo

(Divulgação)


O diretor e roteirista gaúcho Jorge Furtado estará em Curitiba nesta quarta-feira (13), às 20 horas, para conversar sobre cinema com o público na Caixa Cultural.
A vinda de Furtado é parte do projeto Juliette Convida, idealizado por Josiane Orvatich e Murilo Wesolowicz, produtores da Juliette Revista de Cinema,que estreia neste mês de março e trará cinco renomados cineastas brasileiros ao longo de 2013.
Conhecido por obras como Saneamento Básico, Lisbela e o Prisioneiro e o curta-metragem Ilha das Flores, Jorge Furtado vai abordar o tema "cinema e invenção de linguagem", inspirado em sua filmografia, marcada pelo experimentalismo.
A entrada para o bate-papo é gratuita,e os ingressos serão distribuídos na bilheteria a partir das 19 horas.
Serviço
Juliette Convida Jorge Furtado
Caixa Cultural (R. Cons. Laurindo, 280 - Centro), (41) 2118-5111. Quarta-feira (13), às 20 horas. Entrada franca.
Fonte: Gazeta do Povo

terça-feira, 12 de março de 2013

Cineclube Sesi: "Cléo das 5 às 7", de Agnès Varda

(Imagem: Divulgação)

No dia 14/03 (quinta) o Cineclube Sesi apresenta o filme "Cléo das 5 às 7", de Agnès Varda dando prosseguimento ao ciclo A Mulher no Cinema que contará ainda com os filmes "O Pântano", de Lucrecia Martel (21/03) e "O Intruso", de Claire Denis (28/03).
Sempre com entrada franca!

Cineclube Sesi: "Cléo das 5 às 7", de Agnès Varda
Cléo é uma artista à espera de um resultado médico - uma biópsia - que dirá o que se passa com sua saúde. O filme se passa durante esta espera, mostrando as agonias e os pensamentos de Cléo enquanto ela caminha pela cidade.

Serviço:
dia 14/03 (quinta)
às 19h30
na Sala Multiartes do Centro Cultural do Sistema Fiep
(Av. Cândido de Abreu, 200, Centro Cívico)
ENTRADA FRANCA
Realização: Sesi
Apoio: Atalante

Mademoiselle K – Rock francês!

(Imagem: Divulgação)


Ela, que é Autora e compositora, foca na “Palavra” e na performance artística de palco com sons de guitarra, pianos e ritmos de bateria próprios.

Data: 12 de março
Horário: 19h30
Local: Auditório Antônio Carlos Kraide
Endereço: Av. República Argentina, 3430, Portão.
Première partie: Ana Larousse, Arthur Mensch e Leo Fressato


Venha para a Aliança adquirir o seu ingresso!

Valor do ingresso (inteira e meia): R$ 30,00 e R$ 15,00. Alunos da AF têm direito a meia entrada mediante apresentação da carteira de estudante. Venda de ingressos na secretaria da Aliança Francesa (Prudente e Fábrika).
Telefone: 41 3223 4457
Site: www.afcuritiba.com.br
Realização: Aliança Francesa.
Apoio: Fundação Cultural de Curitiba

A partir do evento criado por Ana Larousse no FB.

segunda-feira, 11 de março de 2013

FESTIVAL DE TEATRO DE CURITIBA

(Imagem: Divulgação)


















Está chegando o FTC! Sem dúvida, agita a cidade. Durante esses anos, movimentou a cena local e nacional. E tem gente que só vai ao teatro neste período. Menos mal, diriam alguns. Pelo menos vão em algum momento. Se bem que isso é bastante questionável, pois seria mais do que natural que esse público frequentasse as salas da cidade fora da grande mostra. Bem, muitas questões são levantadas com relação à organização e estrutura oferecida às cias e até mesmo ao público, entre outros. Para quem é profissional, é hora de aproveitar a imensa vitrine para tentar colocar a cabeça para fora da grande multidão e se fazer notar, sem a foice decepar suas belas madeixas. Para quem é plateia, é hora de correr atrás da programação, os ingressos dos espetáculos mais concorridos, dos bônus e descontos oferecidos, já que o custo de pacotes de compras de ingressos pode sair bem salgado. Enfim, boa sorte a todos, que cada vez mais os artistas locais sejam prestigiados e que o público tenha consciência e sensibilidade para assistir e aplaudir um bom espetáculo (independente de quem está em cena - mesmo sendo um ator global encenando uma peça num grande auditório). Viva o Teatro!

As primeiras visualizações do blog!

















Vamos que vamos, devagar e sempre! Após duas semanas de blog, chegamos a mil visualizações. Nada mal! Agradecendo sempre aos amigos, seguidores e colaboradores! Boa semana!!

domingo, 10 de março de 2013

Flash Mob O Leitor II

(Imagem: Evento/Divulgação)


O Coletivo Atalante o convida a participar do Flash Mob¹ “O Leitor”, que, nesta sua segunda edição, ocorrerá no Terminal Portão, em uma Segunda-Feira², das 18:30 às 19:30³, no dia 11/03/2013. 

No que consiste este Flash Mob? Objetivamente, consistirá num grupo espontâneo de pessoas que irão ao Terminal Portão e lerão um livro durante uma hora. Aqueles que estiverem lendo não deverão conversar, sob nenhuma circunstância, com os demais participantes/leitores do evento, mas sim, pura e simplesmente, se restringir a exercer esta atividade tipicamente solitária que é a leitura! Recomendamos aos Leitores que levem algum livro que seja especial, algo que o tenha marcado de alguma maneira e que, como recompensa, você o homenageará durante esta uma hora de leitura. Caso alguém, dentre os Transeuntes do Terminal, que, diante de um número tão atípico de Leitores em um mesmo lugar, o indague sobre o porquê de haver tanta gente lendo, faça-se de desentendido e, se julgar conveniente, comece a falar a respeito da obra, divulgue-a, leia algum pequeno trecho do livro, pois assim, caso algum curioso resolva indagar vários Leitores, ele ouvirá vários relatos e trechos tornando-se assim, igualmente, um Leitor. A ideia, muito singela, é simplesmente causar um certo estranhamento nos Transeuntes do Terminal e, quem sabe, suscitar-lhes um certo desejo, ainda que inconsciente e tíbio, pela leitura.
Agora, refaçamos a pergunta do início: “No que consiste este Flash Mob?” Em termos mais idealistas e figurados, este Flash Mob consiste em uma intervenção, por parte de uma figura inusitada, em um dos templos mais representativos de nossas rotinas: os terminais de ônibus da cidade (Cabral, Portão, Boqueirão, Pinheirinho e Guadalupe). A tal figura inusitada é o Leitor, geralmente em minoria em praticamente qualquer espaço, mas que possui uma postura tão única e inequívoca: livro à mão, cabeça curvada e olhar atento e navegado.
André Bazin, no seu livro Charlie Chaplin, diz a respeito de Carlitos, o grande personagem de Chaplin: “A sociedade impõe mil cerimônias que não passam igualmente de uma espécie de missa permanente que ela oferece a si própria. Um exemplo disso é a maneira de se comer em sociedade. Carlitos jamais consegue usar os talheres de modo conveniente. Põe sempre o cotovelo dentro dos pratos, derruba a sopa sobre a calça etc... Religioso ou não, o sagrado está presente em toda a vida social não apenas no magistrado, no policial, no sacerdote, mas no ritual de alimentação, nas relações profissionais, nos transportes públicos. É por ele que a sociedade mantém sua coerência, como em um campo magnético. Inconscientemente, a cada minuto, nos posicionamos segundo suas linhas de força. Mas Carlitos é feito de outro metal. Não apenas escapa à sua influência, mas a própria categoria do sagrado não existe para ele, sendo tão inconcebível quanto a rosa para um cego de nascença”.
Tendo isso em vista, propomos esta intervenção por parte dos Leitores: nos lugares já consagrados a determinados usos tão restritos e funcionais, iremos realizar uma das atividades mais negligenciadas em nosso país que conta, segundo a última pesquisa, com a quantia de 27% da população de analfabetos funcionais, fora os totalmente analfabetos. Por fim, esta intervenção é também uma maneira, ainda que indireta, de dizer à população que os leitores existem e que a leitura é possível nem que seja somente durante nossas viagens diárias de ônibus rumo aos nossos trabalhos, escolas ou outras instituições afins.

1 Flash Mobs são aglomerações instantâneas de pessoas em certo lugar para realizar uma ação inusitada que tenha sido previamente combinada. Após a ação, os participantes se dispersam tão rapidamente quanto se reuniram. Os Flash Mobs são filhos das redes sociais de comunicação, que acabaram por facilitar a união de grupos que possuam gostos e interesses em comum, sendo o seu primeiro evento articulado por e-mail e, hoje em dia, têm sido articulados com mais frequência através do Facebook. Em Curitiba, por exemplo, Flash Mob mais tradicional é o Zombie Walk, o qual ocorre em todo o mundo.
2 O evento tem que ocorrer na Segunda-Feira porque é o primeiro dia útil da semana e representa o retorno ao cotidiano do trabalho e de nossas outras obrigações para com a estrutura socioeconômica na qual estamos inseridos até o pescoço. Além disso, a segunda-feira, em escala semanal, corresponderia, digamos, aos primeiros minutos subsequentes ao nosso despertar do sono, logo, supostamente, estaríamos com nossa sensibilidade mais suscetível ao divagar próprio de nossa imaginação.
3 Este horário foi escolhido tendo em vista que o mesmo corresponde à hora do rush que, em nossa cidade e em todas as outra metrópoles do mundo, está cada vez mais caótica e estressante. A idéia é sugerir a temporalidade própria do ato de leitura como uma alternativa mais salutar que a carregada temporalidade deste horário.


Christiane Torloni em Teu Corpo é Meu Texto chega ao Guairão

(Imagem: Divulgação)


Sob a direção de José Possi Neto, coreografias de Anselmo Zoll e texto de Eduardo Ruiz, Christiane Torloni personifica uma Deusa que invoca os homens, através da dança, para sonharem em um jardim ancestral.

A direção coreográfica de Anselmo Zolla traz, num primeiro momento, seres amorfos, ainda nem homens nem mulheres, que vão se construindo aos olhos do público. No decorrer de suas humanizações percorrem os terrenos delicados das paixões, dos medos e do amor. Para isso o coreógrafo revisita o universo visceral dos boleros e, como no mundo dos sonhos tudo é possível, nos leva a uma engenhosa Caixa Humana, numa delicada alusão à dança clássica. A montagem reverencia os grandes nomes da dança.

A cenografia, inspirada nas obras de Hieronymus Bosch, apresenta um cenário predominantemente noturno. Releituras musicais de Felipe Venâncio moldam a trilha sonora e transitam entre o clássico e contemporâneo, com obras de Bach, Ravel, Pergolesi, Tchaikovsky, Stravinsky e os boleros de Pink Martini. A peça homenageia a arte como forma de perpetuação do sonho humano e por isso, nesta montagem, o diretor José Possi Neto utiliza não só da poesia física, mas também da poesia falada.

Ficha Técnica:
Teu Corpo é Meu Texto
Direção: José Possi Neto
Criação coreográfica: Anselmo Zolla
Textos: Eduardo Ruiz
Roteiro: José Possi Neto
Direção Musical: Felipe Venâncio
Cenário: Renata Pati e Brito Antunes
Desenho de Luz: José Possi Neto / Anselmo Zolla / Joyce Drummond
Figurinos: Fábio Namatame

Serviço:
Teu Corpo é Meu Texto – peça teatral.
Dias 12 e 13 de março às 20h30.
Auditório Bento Munhoz da Rocha Netto (Guairão) ( Rua Conselheiro Laurindo, s/nº, Curitiba).
Ingressos: R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia). Desconto de 20% para o Cartão Teatro Guaíra e Clube do Assinante da Gazeta do Povo. Não cumulativo com descontos previstos em lei.

sexta-feira, 8 de março de 2013

Orquestra Sinfônica do Paraná abre temporada neste domingo

(Imagem: Divulgação)
















Neste primeiro concerto de 2013, o bicentenário dos compositores Richard Wagner (1813-1883) e Giuseppe Verdi (1813-1901) serão lembrados. É de Verdi a obra, Abertura de Vesperas Sicilianas que inicia a apresentação. A peça de abertura da ópera, que estreou em Paris em 13 de junho de 1885, foi composta em francês, mas é frequentemente executada na tradução italiana. O Prelúdio e morte de amor de Tristão e Isolda, de Richard Wagner encerra a apresentação. Esta ópera é considerada um marco na história da música.

Do compositor polonês Henryk Mikolaj Górecki (1933-2010) será apresentado o Concerto Notturno para violino e orquestra de cordas, escrita por encomenda da “Musica Viva Musica Society”, em 2001. A peça alcançou grande popularidade e prestigio e já foi apresentada por grandes violinistas como Kaja Danczowska, Patrycja Piekutowska e Bakowski Krzysztof.

Outro compositor polonês, Witold Lutoslawski ( 1913-1994) também será lembrado neste concerto. Sua peça, Partita para violino e orquestra com piano “obligato” é uma das mais importantes do seu repertório. Foi escrita em 1984 para o violinista Pinchas Zukerman, diretor artístico da Saint Paul Chamber Orchestra e para o pianista Marc Neikrug, estreou em janeiro de 1985.

Patrycja Piekutowska – violinista
Piekutowska é um das mais renomadas violinistas da atualidade. Formada em Varsóvia, na Universidade de Música Frederic Chopin, em 2007 obteve o título de Doutora em Arte Musical. Já se apresentou em países como Argentina, Uruguai, Chile e Peru, Dinamarca, India, China, Kuwait, Tunísia e África do Sul. No ano passado, fez muitos concertos em homenagem ao 75° aniversário de Penderecki nos Estados Unidos, Alemanha, Irlanda, Venezuela e Polônia. Em janeiro de 2009 tocou em Curitiba e ministrou aulas no 27° Festival Oficina de Música.

Analaura de Souza Pinto - pianista
Ana Laura é integrante da Orquestra Sinfônica do Paraná, onde atua como solista desde 1985. Tem intensa atividade e longa experiência em música de câmara, corepetição e didática musical. Em 1990 foi uma das solistas convidadas do concerto comemorativo ao Centenário dos Pianos Essefelder, no Teatro Guaíra. Participou em várias Oficinas de Música de Curitiba.

Serviço:
Orquestra Sinfônica do Paraná - Concerto de abertura temporada 2013
Dia 10 às 10h30
Auditório Bento Munho da Rocha Netto – Guairão (Rua Conselheiro Laurindo, s/nº
- Curitiba – Paraná).
Classificação: 7 anos.
Ingressos a preço único: R$30,00. Desconto de 50% para o cartão Teatro Guaíra.

Os próximos concertos no mês de março serão:
Dia 17 às 10h30 Guairão
Concerto para Crianças - América do Sul
Ary Barroso: Aquarela do Brasil
Gustavo Dudamel Ginastera: Suite de “Estâncias”
Heitor Villa-Lobos: Bacchiana nº 2 (Trenzinho do Caipira)
Zequinha de Abreu: Tico-Tico no Fubá
Maestro - Marcos Arakaki

Dia 24 às 10h30 Guairão
Edino Krieger: Canticum Naturale
Francisco Mignone: Concertino para clarineta
Johannes Brahms: Sinfonia nº 3
Soprano – Kalinka Damiani
Clarinete – Marcelo Oliveira
Maestro – Osvaldo Ferreira